Lajes treliçadas em edificações
 

Chamam-se lajes treliçadas às lajes leves executadas com vigotas pré-moldadas com treliças nervuradas em aço CA-60 que apresentam blocos de enchimento para diminuir o consumo de concreto e o seu peso próprio. Também podemos ter lajes treliçadas maciças e/ou executadas com painéis ou pré-lajes.

 

Elas podem ser utilizadas como alternativa às lajes convencionais em praticamente todas as situações usuais de obra. Com as lajes treliçadas podem ser executadas lajes de piso, de cobertura e escadas de residências e edifícios residenciais e comerciais. Podem também servir para a construção de pisos e paredes de tanques e reservatórios bem como cortinas de contenção.

 

Como oferecem uma solução simples e de bom comportamento estrutural intrínseco, muitas vezes não recebem a devida atenção dos proprietários e construtores. Este trabalho pretende ressaltar os principais aspectos de comportamento, desempenho e custo chamando também a atenção para sua importância em termos de economia e facilidade de execução das lajes em geral.

 

As principais normas técnicas a serem obedecidas em seu projeto são, dentre outras, a NBR 14859-1 e 2:2002 Laje pré-fabricada – Requisitos - (uni e bi-direcionais) e a NBR 6118:2003 Projeto de estruturas de concreto armado – Procedimento.

 

Sob a ótica do projeto estrutural, vale notar que em comparação com os processos de cálculo das lajes treliçadas elaborados de acordo com a NBR6118:1980, podemos afirmar que as principais modificações introduzidas pela nova Norma em março de 2003 no processo de cálculo das lajes treliçadas unidirecionais foram:

 

·           Exigência de um maior cobrimento de concreto para garantir uma maior durabilidade das estruturas construídas;

 

·           Obrigatoriedade do cálculo das flechas (imediatas ou de longo prazo) levando em conta a diminuição da inércia pela fissuração da seção de concreto armado;

 

·           Menor tolerância no valor das deformações finais, a longo prazo, para as cargas de alvenaria;

 

·           Maior dificuldade na consideração da plastificação das seções sobre os apoios (ou seja: ficou mais difícil a redistribuição dos momentos negativos);

 

·           Menor capacidade da seção de concreto da nervura para resistir, sem armaduras transversais adicionais, às forças cortantes e

 

·           Menor capacidade das seções de concreto para resistirem aos momentos positivos com armadura simples.

 

Estas modificações na Norma implicam em alterações significativas nos resultados do dimensionamento de vigotas treliçadas quando comparados com os resultados da mesma laje dimensionada pela Norma anterior.

 

Como regra geral, podemos dizer que, para as mesmas cargas e vãos, as lajes dimensionadas pela nova Norma apresentam altura total maior e contra-flechas mais elevadas do que as anteriormente dimensionadas. Quanto maiores os vãos tanto mais pronunciadas estas diferenças se tornam!

 

Para que se entenda a enorme vantagem que o uso das lajes treliçadas trazem para o construtor, devemos começar lembrando que o maior componente individual na composição do custo do concreto armado convencional em estruturas de edificações é a forma. Sua incidência no custo fica ainda mais representativa quanto menor for a sua re-utilização. Em residências ou em obras com pavimentos  com baixa repetitividade, esta influência fica ainda maior quando nos damos conta de que nelas, as madeiras são usadas uma única vez ou re-utilizadas pouquíssimas vezes. Assim, um dos principais alvos da otimização estrutural da estrutura de edificações devem ser as formas das lajes.

 

A primeira medida de otimização do custo estrutural é, portanto, eliminar o mais possível as formas necessárias à execução das lajes. O processo executivo que atinge este objetivo praticamente sem a necessidade do uso de qualquer equipamento adicional na obra é o das lajes executadas com vigotas treliçadas. Estas lajes virtualemente eliminam as formas de madeira, pois funcionam como formas incorporadas já com a armadura positiva embutida.

 

As vigotas treliçadas (elementos de concreto com 3cm a 4cm de espessura e 12cm a 25cm de largura aos quais está incorporada uma treliça padronizada, executada industrialmente em aço nervurado CA-60, com altura entre 8cm e 25cm e, se necessário, as armaduras complementares definidas pelo projetista estrutural) são encomendadas de fornecedores especializados que as fabricam sob medida, de acordo com os vãos das lajes.

 

As treliças incorporadas fornecem a rigidez necessária para vencer vãos entre escoras da ordem de 1,20m a 1,50m, diminuindo sensivelmente o custo de material e mão de obra dos escoramentos. O custo da estrutura ainda é diminuído pois é possível reduzir em até 40% o volume de concreto das lajes usando um enchimento de blocos de cerâmica, de concreto ou EPS apoiados entre as vigotas, criando uma laje nervurada sem formas e com escoramento muito simplificado.

 

A opção dentre os tipos de blocos de enchimento é feita, em geral, baseada em critérios técnicos (quanto maior o vão da laje, menor a taxa de armação e menores as flechas ao se usar um material de enchimento leve) e econômicos (disponibilidade local, custo intrínseco, etc.).

 

Ao endurecer o concreto da capa superior da laje, a laje se torna monolítica, já que a treliça funciona como ponte, ligando o concreto da vigota vindo da fábrica com o lançado na obra. É sempre vantajoso que a treliça seja executada em aço nervurado para aumentar a aderência ao concreto e reduzir a fissuração.

 

Outras alternativas para otimizar o processo executivo de lajes envolvem quase sempre o uso alugado de sistemas comerciais de formas e/ou escoramentos tais como moldes plásticos para lajes nervuradas, escoramentos metálicos, etc. Estes processos funcionam muito bem, principalmente para obras maiores, com maior planejamento e certeza do fluxo de caixa.

 

Obras onde existe um razoável grau de incerteza quanto ao seu prazo e ritmo, situação não rara em nosso meio, devem estudar com cuidado outras soluções para otimização do custo de execução de lajes que envolvam aluguel de equipamento, eis que atrasos inesperados podem comprometer o aspecto econômico da opção por soluções alugadas.

 

Lajes treliçadas são, pois, uma solução atraente para a otimização do custo de lajes em edificações, já que apresentam baixo custo aliado à facilidade e rapidez de execução, diminuindo  o peso próprio da laje, reduzindo seu custo de formas e de escoramento além de  facilitar as instalações elétricas sem necessidade do aluguel ou compra de nenhum equipamento adicional.

 

Prof. Engº Anibal Knijnik